GeoPredial destacado em sessão de divulgação do BUPi promovida em Caminha

Ocorreu hoje em Caminha mais uma sessão de divulgação do BUPi, o Balcão Único do Prédio. Este projeto, cujo piloto abrangeu também este concelho, surge com o objetivo de ajudar o país a conhecer melhor o seu território recorrendo à georreferenciação, procurando definir os limites dos terrenos e identificar os seus proprietários.

 

 

 

Nesta sessão, a convite da Secretária de Estado da Justiça, Anabela Pedroso, a Ordem dos Solicitadores e dos Agentes de Execução esteve representada pelo seu Bastonário, José Carlos Resende, uma vez que o GeoPredial e os solicitadores com formação na área representarão peças fundamentais na construção e alimentação deste projeto que pretende garantir o cadastro com registo em todo o território nacional.

 

 

Tudo aconteceu na Conservatória do Registo Civil, Predial e Comercial de Caminha. Miguel Alves, o Presidente da Câmara Municipal de Caminha, foi o primeiro a discursar. Na sua intervenção sublinhou a responsabilidade das Autarquias e do Estado, tendo afirmado acreditar na mudança com base no contributo de todos.

 

 

Neste contexto e com os olhos postos no futuro, José Carlos Resende, Bastonário da Ordem dos Solicitadores e dos Agentes de Execução, relembrou o caminho já percorrido pela associação pública e pelos seus associados, nomeadamente no âmbito do serviço GeoPredial. Reafirmou ainda a disponibilidade da OSAE e dos solicitadores para colaborarem na construção de uma solução para o país, capaz de garantir "olhos" aos registos.

 

 

Passada a palavra ao Coordenador da Unidade de Missão para o Interior, João Paulo Catarino, foi feita uma análise do processo construído até àquele momento. Enaltecendo o dinamismo das diversas estruturas envolvidas, designadamente da OSAE, João Paulo Catarino reforçou a necessidade de chamar os cidadãos a participarem neste processo.

 

 

Por fim, foi Anabela Pedroso, Secretária de Estado da Justiça, quem tomou a palavra. Na sua perspetiva, o BUPi, cujo "i" deriva do seu caráter inovador, interativo e da relevância da partilha e circulação da informação já existente, representa algo novo uma vez que os dados decorrem da base e dos organismos que melhor conhecem o território.

 

 

Sendo convicção de todos os parceiros que o futuro trará novos desafios, também não restaram dúvidas quanto aos benefícios de uma cooperação reforçada. Assim sendo e estando já estabelecidos pontos de partida materializados em números, nesta sessão foi ainda fixada a necessidade de balanços que permitam equacionar novas metas e desenhar novos objetivos.

 

 

 

 

 

 

Assista ainda à reportagem realizada pela OSAE.tv.

Publicado a 07/11/2017

Eventos